sexta-feira, 13 de janeiro de 2017

Tag - " The Me Time" (Meu momento)


1. O que é assistes ou lês?  Normalmente, alguma serie portuguesa que tenha muita vontade de ver, ou vídeos no youtube. Não leio muito ultimamente. 

2. O que gostas de vestir? Roupa normal gosto é de calçar os chinelos de quarto.

3. Quais são os produtos de beleza que usas? Lavo a cara com água, posso passar algum esfoliante mas é raro, e ponho um creme hidratante. 

4. Qual é o teu verniz preferido?  Atualmente não tenho.

5. O que é que comes ou bebes no teu momento? Torradas ou panquecas e chá.
6. Qual a tua vela preferida atualmente? Baunilha.
7. Para onde vais? Para o quarto. 

8. Irias ao cinema sozinha? Sim, já fui uma vez :p 

9. Quais são as tuas lojas virtuais preferidas? Não tenho. 

10. Compartilhe um segredo ou uma coisa que você gosta de fazer? Tomar um banho em que eu possa passar algum tempo na água. 

terça-feira, 3 de janeiro de 2017

Cozinha, Inglês e Exercício Físico


A vida é uma correria. Empenho-me em tudo que me obriga a sair de casa e mostrar que sou capaz. Hoje venho falar de três áreas que quero melhorar o meu empenho e o meu conhecimento. Há anos que ando a tentar mas sinto que ainda não dei o melhor de mim para me sentir concretizada, talvez por falta de motivação, talvez por ainda não sentir a necessidade absoluta de saber e fazer, talvez por me acomodar, preguiçar e deixar o tempo passar. 

Sempre comi comida saborosa, com poucos condimentos é verdade, mas os necessários para me saber bem, as refeições feitas pela minha mãe ou arroz com atum do meu pai foram o suficientes para não sentir necessidade de experimentar. Com entrada na universidade, obriguei-me a saber o básico, arroz, massa e batatas e depois algo grelhado, frito ou cozido. Tudo muito simples, nada de muito complicado. Não sou pessoa de comer a comida salgada, por isso deito sempre o sal a medo, e é rara a vez que acerto (para mim está bom, mas para o resto do mundo esta insosso). Sobremesas é mais fácil é só seguir a receita que algum site na internet é perito a explicar. Quero aprender, melhorar, fazer aqueles assados, estofados e principalmente aprender a deitar a quantidade de sal necessária. 

Inglês, investir nesta língua que actualmente quem não sabe fica a deriva. Não tenho dinheiro, nem tempo para tirar um curso a serio, por isso ando a tentar evoluir com aplicações do telemóvel e traduções de frases feitas que por aí pairam. Percebo o mínimo mas não é o suficiente para sobreviver principalmente no mundo do trabalho que se aproxima.

Por ultimo, Quero fazer exercício físico, principalmente quando tenho tempo livre. Porque não melhorar a minha condição física e a minha flexibilidade? Diminuir as horas desnecessárias de sono que estou a ter nestas ferias e sair para praticar algum desporto. Hoje experimentei e adorei a sensação de sentir mais leve com o coração a bater mais rápido. 

As minhas resoluções para este ano são estas, quero continuar com o que tenho e melhorar estes pequenos pontos para me sentir melhor com corpo e mente saudável. Bora lá. 


segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Dar asas as palavras ..


A beleza das palavras está nos sentimentos que queremos transmitir com elas. Cada uma tem o seu significado, mas a forma como a entoamos transmite sensações aos outros. Deixam de ser só palavras, são mais e mais que isso. Quero voltar a brincar com elas, usufruir para dar largas a pensamentos que até então me têm feito crescer. O ano que passou deixou-me sem palavras por todas as coisas novas que se passaram, perdi um pouco este sentido de escrever, mas quero voltar a sentir o prazer com regularidade, transmitir a minha opinião, contar um episódio ou dar um conselho com algo que aprendi. Quero seguir em frente em tudo o que me está a desenvolver como jovem adulta, levando o que sou e o que fui a partir das raízes daqui. 

sábado, 24 de setembro de 2016

A reliquia


Tenho saudades de escrever, carregar no teclado com um fim que não seja abordar um tema cientifico ou conversar sucintamente com alguém. Saudades de pensar na paz interior e de conjuga-la com tudo o que se faz a correr. Encontrar momentos que a velocidade não seja uma variável de corrida.
Algumas etapas no meu crescimento já atingi, tirei a carta por exemplo, passei imenso tempo sem conduzir sozinha e agora até prefiro desde que não me obriguem a parar no meio de uma subida, visto que, pontos de embraiagem a subir não é o meu forte. 
Por orientações do destino, acordei numa manhã de segunda feira e arranjei um emprego. No verão anterior mandei currículos para tudo que era sitio, este verão mesmo na penúltima semana de férias, chamam-me. O meu primeiro emprego, check! 
Para terminar estas mudanças mais cruciais na minha vida, oficialmente comecei uma nova década. É entrei nos 20 com cara de quem ainda tem 15. Espero chegar aos 60 com cara de quem ainda tem 40. 
No que toca à minha ao meu ser, continuo a moldar-me não deixando os meus princípios, valores e ingenuidade natural,  continuo birrenta quando as coisas não funcionam como eu quero, mas felizmente um pouco mais ponderada e pensativa nas minhas ações, posso dizer que cresci um pouco neste aspeto, no entanto ainda tenho sempre algo aprender. Tento dar o melhor e um pouco de mim a tudo e as vezes só com o tempo programado consigo orientar-me, gostava que o tempo se alongasse um pouco mais de mim aos outros sem ter que pensar em compromissos. Tudo isto, e um pouco mais é a Catarina a iniciar a década dos 20.  

sexta-feira, 12 de agosto de 2016

Um incendiário.


Um incendiário trata-se de uma pessoa que provoca voluntariamente um incêndio. Vai pelo seu próprio pé, "pega num isqueiro e atira fogo a uma mata ..." Apesar de falado, e ser presente à justiça, quem não esteve na pele daquelas pessoas que foram prejudicadas não demonstra a gravidade dos acontecimentos, afinal não foi um ataque terrorista. É algo tão comum, ocorre todos os anos, é só mais um fogo com mais ou menos consequências. 
O que é que leva alguém ir até a uma mata ou floresta e atirar-lhe fogo? Li vários artigos nos jornais da Internet e percebi que o tipo de vivências, doenças, drogas, álcool e situações pessoais das pessoas podem levar a sentirem prazer e não terem consciência dos danos causados. Na sua maioria são pessoas do sexo masculino, com baixa escolaridade, desempregados, com algum tipo de depressão, atraso mental ou dependência. Para além do prazer na atração do fogo que possam sentir, podem existir outros motivos, como recompensa em dinheiro, vingança, ou ainda mais absurdo, experiência em querer praticar o combate as chamas. 
No entanto, sabe-se que a maioria dos incendiários que estão presos nas cadeias não sofrem de distúrbios mentais, e isso é  o que mais revolta. 
Na minha mais sincera opinião, acho que todos os incendiários que foram libertados por cumprir a pena ou foram libertados por falta de provas, deviam de ser vigiados, principalmente na altura de maior calor receberem apoio psicológico e fazerem trabalho comunitário, quer ajudar na construção de habitações que foram destruídas, quer na limpeza e tratamento das matas e florestas deste pais.  Integra-los na sociedade aos poucos, coloca-los a trabalhar e educa-los para terem a consciência e não voltem a cometer o mesmo erro. Já chega de fumo cinzento por aí. 

terça-feira, 2 de agosto de 2016

Tag O que curtes.. ;)

Vamos a mais umas perguntas :p

1. Carnaval ou ficar em casa? Ficar em casa.
2. Beber refrigerante ou beber agua? Agua durante o dia, sumo as refeições.
3. Jogar no videogame ou jogar no telemóvel? No telemóvel.
4. Tomar sol ou fugir do sol? Apanhar sol enquanto não queimar.
5. Calças jeans ou bermudas? Jeans.
6. Som alto ou fones nos ouvidos? Fones nos ouvidos.
7. Lavar o cabelo todos os dias ou de vez em quando? Todos os dias.
8. Pintar o cabelo ou deixar natural? Natural.
9. Acampar ou ir a um show? Ir a um show.
10. Sentar para comer na mesa ou no sofá? Na mesa.
11. Computador de mesa ou portátil? Portátil
12. Falar muito ou escutar muito? escutar muito.
13. Óculos de sol ou boné? Óculos de sol.
14. Comer em casa ou na rua? Na rua.
15. Assistir um filme em casa ou no cinema? Ambos acompanhada.

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Um ser especial.


O destino é subtil. Nada é forçado para recordares uma pessoa especial com um sorriso sincero. Um sorriso sem aparências, que te faz sentir bem, que te faz pensar o quão bom foi ter entrado na tua história. Esqueces tudo aquilo que há de mau em redor e concentras-te apenas no quão bom este e aquele ser te proporcionou. A magia dos bons momentos, a verdade das palavras, a sua maneira de ser, as gargalhadas partilhadas, os sentimentos envolvidos, o aborrecimento conjunto e sobretudo à vontade na união. 
É isso que uma pessoa especial te faz sentir. É especial para ti pelo orgulho que tens no que construíram, pela vontade de continuar ou pela sensação de perda de não a teres mais e principalmente, pelo que contribuiu em ti para melhorar o teu sentido e forma de viver.

Durante o dia a minha avó esteve particularmente no meu pensamento, ela é uma inspiração, e hoje recordei-a imensas vezes. Ao pensar nela, relembrei o conjunto de pessoas que são especiais para mim e que me fazem sorrir e sentir especial também para elas. O pequeno pensamento acima, também foi a pensar na minha família, nos meus amigos e na minha criatura totó, o meu amor.